Reguengos de Monsaraz vai ser o primeiro destino turístico inteligente em Portugal

Reguengos de Monsaraz vai ser o primeiro destino turístico inteligente em Portugal

O Município de Reguengos de Monsaraz vai implementar um sistema de sinalização e informação turística inteligente no concelho, baseado numa nova tecnologia com dispositivos eletrónicos denominados “beacons”. Estes dispositivos serão colocados nos postos de turismo e nas placas de sinalização turística pedonal e vão fornecer informação atualizada aos turistas através de BLE – Bluetooth Low-Energy para os smartphones com sistemas operativos Android e IOS, após descarregarem uma aplicação.
A autarquia vai substituir todas as placas turísticas de informação pedonal do concelho para que exista uniformização e coerência na sinalética. Quando o turista se aproximar das placas receberá informação no seu smartphone em vários idiomas através do “beacon” instalado nesse local, permitindo-lhe compreender a sua localização com alto grau de precisão, assim como os pontos turísticos que se encontram nas proximidades, as unidades de alojamento, os restaurantes, os operadores turísticos, os produtores de vinho, o comércio, as exposições que pode visitar e toda a programação cultural no concelho.
Com a implementação do sistema de sinalização e informação turística inteligente, José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, diz que “o concelho vai ser o primeiro destino turístico inteligente em Portugal, ligando residentes, turistas e visitantes aos locais de interesse, transmitindo-lhes informações atualizadas e contextualizadas de acordo com o sítio onde estão e propondo-lhes sugestões de visitas”. O autarca afirma que “este sistema vai também contribuir para o desenvolvimento económico, para beneficiar a segurança rodoviária e a circulação pedonal, assim como para melhorar a imagem do concelho com uma sinalização homogénea de menor impacto visual na paisagem e no espaço urbano”.
O sistema de sinalização e informação turística inteligente foi apresentado na Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz pela empresa Sismotur, que instalou esta tecnologia em 2014 no município espanhol de Aranda de Duero para promover a Rota do Vinho Ribera del Duero, o primeiro local na Europa a transmitir informação aos turistas através de “beacons”.

Share

Desfile de carnaval com mais de 800 crianças em Reguengos de Monsaraz

Desfile de carnaval com mais de 800 crianças em Reguengos de Monsaraz

O Município de Reguengos de Monsaraz e o Agrupamento de Escolas de Reguengos de Monsaraz vão organizar no dia 24 de fevereiro, pelas 10h30, um desfile carnavalesco com mais de 800 crianças. Nesta iniciativa vão participar os jardins-de-infância e as escolas básicas do 1º ciclo de Reguengos de Monsaraz, Campinho, S. Marcos do Campo, S. Pedro do Corval, Outeiro e Perolivas, mas também a creche da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, o Centro de Atividades Ocupacionais e o jardim-de-infância da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz.

O Carnaval das Escolas tem início na Escola Básica n.º 2 e o desfile vai percorrer as principais artérias da cidade, como a Rua de Évora, a Rua 1º de Maio, a Praça da Liberdade, o Largo da República e o Largo Almeida Garrett. Centenas de pessoas vão assistir ao desfile que vai animar e encher de cor e música as ruas de Reguengos de Monsaraz.

O Carnaval das Escolas tem o apoio da Escola Segura da Guarda Nacional Republicana.

 

Share

Centro Náutico de Monsaraz recebe a primeira prova do campeonato nacional Formula Windsurfing Series 2017

Centro Náutico de Monsaraz recebe a primeira prova do campeonato nacional Formula Windsurfing Series 2017

O Centro Náutico de Monsaraz vai receber entre os dias 25 e 28 de fevereiro a CARMIM Monsaraz/Lago Alqueva 2017, a primeira prova do campeonato nacional Formula Windsurfing Series 2017. Nesta competição, que integra também o Ranking Ibérico de Águas Interiores, vão participar 32 velejadores da Península Ibérica, entre os quais os atuais campeões de Portugal e de Espanha, nomeadamente Miguel Martinho e Fernando Martínez.

Miguel Martinho já foi 18 vezes campeão nacional e no ano passado conseguiu um quarto lugar no Campeonato do Mundo absoluto, que juntou aos títulos de campeão europeu masters e de vice-campeão do mundo masters. Fernando Martínez é o atleta que venceu mais vezes o campeonato espanhol de formula windsurfing e em 2016 classificou-se entre os 15 melhores do mundo da modalidade.

CARMIM Monsaraz/Lago Alqueva 2017 é uma prova organizada pela Associação Formula Windsurfing Portugal e pelo Clube Naval de Portimão com o apoio do Município de Reguengos de Monsaraz. As regatas deverão decorrer entre as 12h e as 18h durante os quatro dias de competição.

A Formula Windsurfing foi criada em 1999 com o objetivo de ser uma classe de forte vocação para a competição, mas também para reduzir a quantidade de material que um atleta tem de transportar para cada campeonato, pois só poderá inscrever uma prancha, três velas e dois fins (quilha da prancha). Assim, torna-se mais fácil um amador poder competir com os profissionais, uma vez que existe um maior equilíbrio e sobressai a técnica e a tática do próprio velejador. Esta classe tem intervalo de vento de 7 a 35 nós para se efetuarem as provas, o que também reduz a capacidade física de cada atleta.

Manuel Janeiro, Vice-presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, considera que “esta competição de formula windsurfing é excelente para a divulgação do Lago Alqueva e das atividades náuticas que podem ser praticadas no maior lago artificial da Europa, não só na área do lazer mas também de competição. O autarca refere que “este evento vai promover o setor turístico do concelho, como as unidades de alojamento, os restaurantes e a sua gastronomia regional, a vila medieval de Monsaraz, mas também os vários operadores turísticos que têm propostas de passeios de barco e para a prática de desportos no lago”.

Vasco Chaveca, Presidente da Associação Formula Windsurfing Portugal, afirma que esta competição “já se realiza no Grande Lago Alqueva desde 2011, apenas com um ano de interregno em 2013 devido à criação de uma nova associação da classe e que inviabilizou a realização de algumas provas. Esta competição no Grande Lago Alqueva tem sido até agora a que obteve mais sucesso em Portugal, tanto em número de atletas participantes como também em número de acompanhantes (família e amigos) que ali se deslocam para ver todo o campeonato, pois tem caraterísticas únicas para a visibilidade de toda a prova, além das excelentes condições que tanto as margens como o lago podem proporcionar a todos. Também através desta prova temos conseguido angariar mais competidores, pois como se trata de um local com condições de segurança únicas, é excelente para quem queira começar tanto a navegar como a participar em competições”.

Share

Reguengos de Monsaraz vai assinar acordo de cooperação com a região de Béni Mellal – Khénifra, em Marrocos

Reguengos de Monsaraz vai assinar acordo de cooperação com a região de Béni Mellal – Khénifra, em Marrocos

O Município de Reguengos de Monsaraz e a região de Béni Mellal – Khénifra, em Marrocos, vão assinar um acordo de cooperação nas áreas do turismo, agricultura, conservação do património, recursos hídricos, ação social, proteção ambiental e formação profissional. No âmbito do acordo, que terá a duração de cinco anos, serão implementadas ações nas duas regiões com empresas, associações, organizações não-governamentais, entre outras.

Reguengos de Monsaraz e Béni Mellal – Khénifra vão criar uma comissão de trabalho que será responsável por executar um programa anual e definir as modalidades de implementação das ações previstas, assim como organizar as visitas a cada um dos territórios. O Presidente do Conselho Regional de Béni Mellal – Khénifra, Brahim Mojahid, esteve entre os dias 17 e 19 de fevereiro a conhecer o concelho de Reguengos de Monsaraz.

O programa da delegação marroquina iniciou-se na tarde de sexta-feira com a receção no Salão Nobre dos Paços do Concelho e a apresentação dos termos do protocolo de cooperação. Nesta cerimónia, José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, descreveu as potencialidades económicas e turísticas do concelho e as vantagens do acordo para a região.

Durante o fim de semana, a comitiva de Béni Mellal – Khénifra degustou a gastronomia regional, efetuou um passeio de barco no Grande Lago, visitou a vila medieval de Monsaraz e os produtores de vinho CARMIM e Esporão. Béni Mellal – Khénifra é uma das 12 regiões de Marrocos e tem cerca de 2,5 milhões de habitantes.

Localizada numa planície junto às montanhas do Alto Atlas, no interior de Marrocos, esta região tem a sua base económica na agricultura, nomeadamente cereais, beterraba, olival e frutas cítricas, sendo igualmente relevante a produção de leite e de carne. A bacia de Ouled Abdoun, perto de Khouribga, detém 44 por cento das reservas de fosfato de Marrocos.

Share

FEDER cofinancia projetos de mais de dois milhões de euros no concelho de Reguengos de Monsaraz

FEDER cofinancia projetos de mais de dois milhões de euros no concelho de Reguengos de Monsaraz

Os projetos “Recuperação dos Baluartes Fortificados em Monsaraz” e “Reguengos de Monsaraz – Cidade Europeia do Vinho 2015/Capital dos Vinhos de Portugal” que foram apresentados pelo Município de Reguengos de Monsaraz para financiamento comunitário pelo FEDER já estão assinados e representam investimentos superiores a dois milhões de euros no concelho. Os contratos de financiamento foram assinados na semana passada em Campo Maior numa cerimónia que teve a presença do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

As candidaturas da autarquia foram apresentadas ao Alentejo 2020 – Programa Operacional Regional do Alentejo 2014-2020 na área do Património Cultural e Natural e nas tipologias Requalificação do Património Cultural e Promoção Turística. Nesta cerimónia foram assinados 32 termos de aceitação com os respetivos beneficiários dos projetos aprovados, num total de 32,2 milhões de euros de investimento e de 24,1 milhões de euros de cofinanciamento do FEDER.

O projeto “Reguengos de Monsaraz – Cidade Europeia do Vinho 2015/Capital dos Vinhos de Portugal” foi o que teve melhor avaliação pela entidade regional gestora dos fundos comunitários, atingindo 4,5 pontos em 5 pontos possíveis. Este projeto vai financiar o investimento efetuado pela autarquia na promoção do concelho e do setor da vinha e do vinho a nível nacional e internacional.

O projeto “Recuperação dos Baluartes Fortificados em Monsaraz” visa a reabilitação do caminho da Barbacã exterior, o desenho de uma proteção ao longo da Rua da Guarda, a articulação entre a Porta de Évora e o Caminho da Barbacã, a reabertura da Porta Sul do Castelo e a sua ligação à Barbacã Sul, mas também a recuperação do pátio da Casa da Inquisição e a sua união ao Castelo. Com a implementação deste projeto resolvem-se as necessidades prementes de consolidação dos paramentos do castelo, das muralhas e da antiga Barbacã de Monsaraz, articulando-se esta operação de conservação com a restituição à vila histórica de uma parte muito significativa do antigo caminho das fortificações exteriores, o perdido caminho da Barbacã, possibilitando a visita completa da sua primeira e exterior linha de defesa e o acesso aos baluartes e revelins a Sul.

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, considera que “estes investimentos são estruturantes para o futuro do nosso concelho. Devo destacar a nossa candidatura que obteve a mais alta classificação de todos os 54 milhões de euros em projetos apresentados, dos quais 32 milhões obtiveram avaliação de mérito para serem agora financiados”.

 

Share

Maurício Rebocho apresenta mais de uma centena de marionetas de 10 países na vila medieval de Monsaraz

Maurício Rebocho apresenta mais de uma centena de marionetas de 10 países na vila medieval de Monsaraz

Mais de uma centena de marionetas de uma dezena de países vão ser apresentadas por Mauricio Rebocho na exposição “30 anos a viajar no mundo das marionetas”, que vai estar patente entre os dias 18 de fevereiro e 31 de março na Igreja de Santiago – Galeria de Arte, na vila medieval de Monsaraz. Esta mostra integra o ciclo de exposições Monsaraz Museu Aberto e poderá ser apreciada diariamente entre as 9h30 e as 13h e das 14h às 17h30.

A exposição apresenta marionetas de Portugal, Índia, Myanmar, Polónia, França, Inglaterra, México, República Checa, Indonésia e Argentina. Na mostra poderão ser apreciadas marionetas raras, como as de Myanmar e as marionetas de sombras de Java, na Indonésia, que Maurício Rebocho demorou cerca de duas décadas para as conseguir encontrar e adquirir.

De Portugal, o marionetista vai expor as suas marionetas, os robertos e os bonecos de Santo Aleixo. Na mostra poderão ver-se também as diversas formas de manipular as marionetas, que são diferentes em cada país.

A Companhia Maurioneta, de Mauricio Rebocho, iniciou-se em 1989 para produção e representação de espetáculos de teatro de fantoches e de luz negra. Durante quase três décadas, Mauricio Rebocho tem realizado espetáculos em todo o país e participado em festivais de teatro de fantoches, para além de realizar workshops e ações de formação sobre marionetas.

Share

Reguengos de Monsaraz recebe a Volta a Portugal e a Volta ao Alentejo em bicicleta

Reguengos de Monsaraz recebe a Volta a Portugal e a Volta ao Alentejo em bicicleta

 

Reguengos de Monsaraz destaca-se este ano no mapa do ciclismo regional e nacional ao receber a 35ª Volta ao Alentejo em Bicicleta Crédito Agrícola e a 79ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander Totta. No dia 23 de fevereiro, a segunda etapa da Alentejana, que vai ligar Monforte a Portel, passa pelo concelho de Reguengos de Monsaraz.

Pelas 14h20, os ciclistas vão disputar uma meta volante na Praça da Liberdade, seguindo depois para S. Pedro do Corval e para a vila medieval de Monsaraz, onde haverá um prémio de montanha. Os corredores regressam a Reguengos de Monsaraz para prosseguirem para as localidades de Cumeada e de S. Marcos do Campo, saindo do concelho pela estrada de ligação a Portel.

A 35ª Volta ao Alentejo em Bicicleta Crédito Agrícola, que se disputa entre os dias 22 e 26 de fevereiro, subiu este ano na hierarquia da UCI – União Ciclista Internacional e regressou ao escalão 2.1, relançando-se novamente no calendário das mais importantes competições internacionais. Nesta edição voltam ao Alentejo as grandes equipas internacionais, como a espanhola Movistar, formação que venceu o ranking mundial em 2016.

A Alentejana vai partir de Portalegre e os ciclistas vão percorrer cerca de 900 quilómetros em cinco etapas até à chegada em Évora. A 35ª Volta ao Alentejo em Bicicleta Crédito Agrícola terá 19 equipas, nomeadamente o Sporting – Tavira (Portugal), RP – Boavista (Portugal), LA Alumínios – Metalusa (Portugal), Efapel (Portugal), Louletano – Hospital de Loulé (Portugal), W52 – FC Porto (Portugal), Movistar Team (Espanha), Caja Rural – Seguros RGA (Espanha), Israel Cycling Academy (Israel), Manzana Postobon Team (Colômbia), GazProm – Rusvelo (Rússia), Euskadi Basque Country Murias (Espanha), Axeon Hagens Berman (Estados Unidos América), Team Sparebanker Sor (Noruega), Rally Racing (Estados Unidos América), An Post Chain Reaction (Irlanda), CCC Sprandi Polkowice (Polónia), METEC TKH (Holanda) e Team Coop (Noruega).

 

Volta a Portugal em Bicicleta regressa a Reguengos de Monsaraz

No dia 6 de agosto, a Volta a Portugal em Bicicleta regressa a Reguengos de Monsaraz, 16 anos depois de ter sido o local de início de uma etapa. A Capital dos Vinhos de Portugal vai receber este ano a partida da segunda etapa da 79ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander Totta, que terá chegada em Castelo Branco e passagens no Alentejo por Redondo, Vila Viçosa e Borba.

A principal prova do ciclismo nacional volta às estradas do interior do Alentejo e José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, afirmou durante a apresentação desta etapa e da Volta ao Alentejo, que decorreu na semana passada em Montemor-o-Novo, que “devido aos custos financeiros, uma etapa da Volta a Portugal só é possível se houver a colaboração de outras entidades e autarquias para repartirmos o investimento, pelo que quero agradecer e manifestar uma palavra de apreço à CARMIM, à ERT – Turismo do Alentejo e Ribatejo e aos colegas presidentes das câmaras municipais de Redondo, Borba e Vila Viçosa, que aceitaram de imediato esta proposta”.

O autarca disse ainda que “é uma honra para Reguengos de Monsaraz receber a partida de uma etapa da Volta a Portugal em Bicicleta e com o seu regresso ao interior do Alentejo e a estes concelhos vamos criar notoriedade nos nossos territórios e gerar a apetência para que no futuro a principal prova do ciclismo português não seja a volta ao norte, mas sim a volta a todo o país”.

 

 

Share

Município de Reguengos de Monsaraz é o mais transparente do Alentejo Central

Município de Reguengos de Monsaraz é o mais transparente do Alentejo Central

O Município de Reguengos de Monsaraz é o mais transparente do Alentejo Central e o vigésimo terceiro a nível nacional, de acordo com o Índice de Transparência Municipal de 2016 elaborado pela Associação Cívica Transparência e Integridade. Num total de 100 pontos possíveis, Reguengos de Monsaraz obteve 88,60, muito superior à média nacional que foi de 52 pontos.

O Índice de Transparência Municipal mede o grau de transparência das 308 câmaras municipais através da análise da informação disponibilizada aos cidadãos nos seus sites. Este índice é composto por 76 indicadores agrupados em sete áreas.

Nestes itens, Reguengos de Monsaraz obteve 92,9 pontos em cada uma das seguintes áreas: Informação sobre a organização, composição social e funcionamento do município; Planos e relatórios; Impostos, taxas, tarifas, preços e regulamentos; Relação com a sociedade; Contratação pública. A autarquia alcançou ainda a pontuação máxima de 100 pontos na área da transparência económico-financeira e de 71,4 pontos no item referente ao urbanismo.

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, afirma que “é fundamental os cidadãos terem acesso a toda a informação de interesse público para compreenderem a exigência, o rigor e a ética dos seus eleitos. Reguengos de Monsaraz passou com distinção neste indicador que avaliou todos os municípios e está em linha com um dos nossos grandes objetivos de transmitir o máximo de informação aos munícipes e estarmos a contribuir para uma cidadania ativa e participativa”. O autarca acrescenta que “é por isso o momento de agradecer profundamente a todos aqueles que diariamente contribuem para levar a cabo a nossa missão pública, com muita dedicação, sentido de missão e grande profissionalismo”.

Share

Município de Reguengos de Monsaraz vai investir 1,36 milhões de euros na vila medieval de Monsaraz

Município de Reguengos de Monsaraz vai investir 1,36 milhões de euros na vila medieval de Monsaraz

A candidatura ao Alentejo 2020 para a requalificação de uma parte das muralhas de Monsaraz e para a reabilitação do Caminho da Barbacã foi aprovada e o procedimento para a empreitada de execução das obras será lançado até ao final de janeiro. Este projeto do Município de Reguengos de Monsaraz, no valor de 1,36 milhões de euros, vai ser comparticipado a 75 por cento pelo FEDER e permitirá finalizar a recuperação estrutural das muralhas da vila medieval e criar um percurso pedestre no interior e no exterior do castelo, junto à Barbacã, com ligação ao Centro Interativo da História Judaica em Monsaraz.

As intervenções têm como objetivo recuperar e preservar o património, mas também assegurar a sua promoção e dinamização, valorizando-o e reforçando a cultura como um fator de desenvolvimento. O projeto visa igualmente contribuir para aumentar a oferta turística e para a melhoria do bem-estar da população, sensibilizando-a para os valores em presença, na perspetiva de que foram e devem ser o garante da preservação ambiental e da manutenção da identidade cultural.

As obras integram a reabilitação do caminho da Barbacã exterior, o desenho de uma proteção ao longo da Rua da Guarda, a articulação entre a Porta de Évora e o Caminho da Barbacã, a reabertura da Porta Sul do Castelo e a sua ligação à Barbacã Sul e a recuperação do pátio da Casa da Inquisição e a sua união ao Castelo. Com a implementação deste projeto resolvem-se as necessidades prementes de consolidação dos paramentos do castelo, das muralhas e da antiga Barbacã de Monsaraz, articulando-se esta operação de conservação com a restituição à vila histórica de uma parte muito significativa do antigo caminho das fortificações exteriores, o perdido caminho da Barbacã, possibilitando a visita completa da sua primeira e exterior linha de defesa e o acesso aos baluartes e revelins a Sul.

As fortificações de Monsaraz estão classificadas como Monumento Nacional desde 1946, tendo sido aumentada a sua abrangência em 1971 a todo o conjunto medieval intramuros da vila.

 

 

Share

Projeto para o Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico de Reguengos de Monsaraz foi apresentado em Évora

Projeto para o Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico de Reguengos de Monsaraz foi apresentado em Évora

O projeto para a criação de um Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico no edifício histórico do antigo Café Central, em Reguengos de Monsaraz, foi apresentado no dia 24 de janeiro no Palácio D. Manuel, em Évora. Nesta sessão foram igualmente apresentadas as propostas que vão ser desenvolvidas em Évora e Montemor-o-Novo e que também integram o projeto promovido pela CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, denominado “Centros de Acolhimento Turístico e Interpretativos de Évora e Alentejo Central”.

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, explicou a estratégia da autarquia na área da promoção e do desenvolvimento turístico, abordando o aumento de turistas na vila medieval de Monsaraz, o setor do vinho que produz quase 30 milhões de litros por ano, o crescimento dos enoturismos da região, que superaram as 60 mil visitas no ano passado, a olaria e o artesanato, o astroturismo, o Cante alentejano e o Lago Alqueva, mas também a Cidade Europeia do Vinho 2015, que “trouxe notoriedade para o concelho e impulsionou a criação da marca territorial Capital dos Vinhos de Portugal, que a partir deste ano vamos promover no nosso país e nos principais mercados internacionais”.

Nesta sessão organizada pela CIMAC, o autarca referiu ainda que “pretendemos estimular e aumentar o fluxo turístico que vem de Espanha, nomeadamente da Estremadura e da Andaluzia, duas regiões espanholas com uma população semelhante à de Portugal e que estamos a trabalhar com intensidade através da comunicação social e da nossa presença em feiras de turismo no sul do país vizinho e em Madrid, como aconteceu recentemente na FITUR”.

Sobre o Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico, José Calixto sublinhou que “é um projeto de requalificação de um edifício emblemático de Reguengos de Monsaraz, inaugurado há 140 anos, está enquadrado numa estratégia de valorização do centro da cidade e vai regenerar o imóvel com uma nova vida e com capacidade para receber e acolher devidamente os turistas, transmitindo-lhes tudo o que podem visitar no concelho, em conjunto com uma simpatia que lhes dê vontade de prolongar a sua estadia”.

O Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico, projeto da autoria do arquiteto da autarquia Miguel Singéis, prevê uma zona de atendimento turístico, mas também uma área de exposição, degustação e venda de produtos locais e regionais aos munícipes e turistas. Neste espaço ficará concentrada toda a oferta do concelho disponibilizada aos turistas, como o vinho, a gastronomia, os azeites, a olaria, os enchidos, os queijos, as mantas alentejanas, as ervas aromáticas, o pão, entre outros.

O projeto “Centros de Acolhimento Turístico e Interpretativos de Évora e Alentejo Central”, que integra a estrutura de acolhimento proposta por Reguengos de Monsaraz, foi candidatado pela CIMAC aos fundos comunitários através da prioridade de investimento “Conservação, Proteção, Promoção e Desenvolvimento do Património Natural e Cultural – Alentejo 2020”.

O Café Central foi projetado pelo arquiteto António José Dias da Silva, autor também da Igreja Matriz de Reguengos de Monsaraz e da Praça de Toiros do Campo Pequeno. Inaugurado em 1877, o Café Central encerrou no ano passado e era um dos cafés centrais em funcionamento há mais tempo no país.

 

Share